Diogo Barbosa Martins
Nascido em Braga em 1986, cresceu entre as belas paisagens minhotas de Vieira do Minho e do Gerês, tendo prosseguido estudos na Universidade do Minho onde se formou em Engenharia Informática, sendo esta a sua atual profissão. Para além da área científica que sempre o fascinou, a expressão artística assumiu-se na sua adolescência como uma das suas grandes paixões. Em primeira instância, a música como forma de expressão criativa, seguindo-se mais tarde, a fotografia e o vídeo. Durante os seus tempos de estudante universitário fez parte de grupos académicos de percussão, onde começou a explorar a cultura tradicional portuguesa com foque nos ritmos tradicionais da zona minhota. Dentro dos instrumentos tradicionais portugueses, com os quais começou esta ligação, a gaita de fole assume-se, a certa altura, como o seu instrumento tradicional de eleição. O seu timbre, as possibilidades e diferentes formas de tocar, específicas até de cada região, e a urgência de divulgação de um instrumento que caíra um pouco no desuso aumentaram o interesse pelo mesmo tendo fundado, em 2012 com mais 5 amigos, a Cabra Cega. Este é um projeto musical que mistura sonoridades tradicionais com ritmos contemporâneos com vista a aproximar as gerações mais novas da música e dos instrumentos tradicionais portugueses. O seu interesse pela cultura tradicional tem-se diversificado ao longo do tempo, indo de encontro, mais recentemente, aos cordofones e ao artesanato português.
Desde o seu primeiro contacto com a música tradicional procura regularmente músicas antigas que atravessaram várias gerações e cruza-se com o projecto da Música Portuguesa a Gostar Dela Própria no seu início identificando-se de imediato com a sua espontaneidade, diversidade e o seu cariz de preservação das músicas naquele espaço de tempo. Em 2013 grava com a Cabra Cega videos para a MPAGDP e aproxima-se ainda mais do projeto, tendo em 2014 feito com o Fábio Ramalho um levantamento de pessoas e cantares da região de Vieira do Minho e registado com a MPAGDP mais de 100 vídeos. Foi uma experiência única e muito enriquecedora que vai certamente voltar a repetir no futuro de forma a preservar o máximo de património imaterial português.
Espera com o seu trabalho e dedicação fazer chegar a cultura tradicional ao maior número de pessoas possível. Pegando no título de um dos filmes do amigo Tiago Pereira, com o qual se identifica completamente, "Vamos tocar todos juntos para ouvirmos melhor!".

Fábio Ramalho
Oriundo de Vieira do Minho, é licenciado em Bioquímica e tem mestrado em Bioinformática. Acredita na música de raiz tradicional, pela sua genuinidade e beleza enquanto plena. Activo explorador de música do mundo, defende a diversidade na música de raiz popular em Portugal como um cunho identitário cultural. Toca amadoramente instrumentos como o acordeão, a braguesa e o cavaquinho, entre outros. Aprecia particularmente cantos polifónicos em vozes femininas. É membro activo em diversos grupos culturais da Universidade do Minho. Desempenha cargos directivos na ARCUM - Associação Recreativa e Cultural Universitária do Minho e no CAVA - Clube Amigos de Vieira.
Em conjunto com o Diogo Martins, articulou e geriu a logística e produção nas gravações do Tiago no concelho de Vieira do Minho, gravando mais de 20 projectos durante quatro dias ininterruptos.

Vieira do Minho, Braga, Baixo Minho

Ir para Braga