Moças Nagragadas é um grupo de cantares populares tradicionais oriundo de Paderne (Albufeira) e composto por oito intérpretes. Nasceu em 2002, no decurso da acção de investigação da literatura oral popular tradicional, levada a efeito por uma equipa de professores, com início em Setembro de 1994.
Desde 2003 que o grupo está integrado na APEOralidade, uma associação criada para dar consistência à acção de pesquisa e estudo da oralidade, contando com a coordenação musical de Nélson Conceição (ao acordeão), e a coordenação literária, com a investigação e fixação do texto de J. Ruivinho Brazão.

José Ruivinho Brazão é licenciado em Filologia Clássica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e docente no ensino secundário em Português, Latim e Grego. Mestre em Literatura Portuguesa (especialidade Literatura Portuguesa Medieval), Ruivinho Brazão tem realizado investigação no domínio da literatura tradicional oral popular desde a década de 60, na região do Algarve. Nesta área, tem tido a oportunidade de entrar em contacto com poetas populares algarvios: os repentistas.

Publicou, em 1977, Em Cima do Mar, do poeta pescador Manuel de Brito Pardal, de Quarteira, e, em 1990, Sonhos de Emigrante, de Clementino Domingos Baeta, de Almancil. Meus Versos Quem os Entende, de Martinho Rita Bexiga, foi publicado em 1993.

Desde Janeiro de 2003 é presidente da Associação de Pesquisa e Estudo da Oralidade.

Albufeira, Faro, Algarve

Ir para Faro