Vivemos num tempo acelerado, tudo é consumido e ultrapassado, a informação vem de todos os lados, consumimos e vemos cada vez mais depressa e andamos esquecidos de ouvir e de escutar. Pergunto-me muitas vezes a pensar o país, porque será que do Rio Tejo para baixo, no meio das conversas, para chamar a atenção do outro, dizemos; “escuta”, enquanto que do Rio Tejo para cima, dizemos; “olha”. É de facto uma boa pergunta. A verdade é que escutamos cada vez menos, seja no Norte ou no Sul. Há todo um tempo para trás, que com a revolução industrial se foi perdendo, as pessoas deixaram de trabalhar com animais, trocaram-nos por máquinas, deixaram de se encontrar ao serão, a televisão e a rádio invadiram as casas, depois a internet e os telemóveis fizeram o resto. A memória deixou de ser trabalhada, qualquer lapso de memória pode ser resolvido com uma consulta ao motor de busca mais próximo. A nossa vida é mediada por aparelhos. Poucos ainda se lembram de cantigas, provérbios e adivinhas de cor, e todos os que ainda se lembram, estão em vias de extinção. É o fim de uma Era, onde se trabalhava no campo e se cantava. Agora para se cantar, tem de se ter hora marcada, para se lembrar das letras, tem de se ser profissional, ir aos concursos de vozes, pôr maquilhagem, subir a um palco, estar afinado. Antigamente afinavam uns com os outros e se as vozes e os instrumentos não “ralhassem”, estava tudo bem. A Era da tradição oral, está a terminar, agora entramos na era da tradição digital. O que a música portuguesa a gostar dela própria vem fazendo, desde há quase dez anos, é documentar essa transição, que é lenta e complexa. Temos percorrido o país de Norte a Sul, à procura das pessoas que ainda cantam para si próprias, que utilizam a memória e a tradição oral para manter vivas práticas e saberes ancestrais. Por isso, gravamos tudo: canções, rezas, responsos, benzeduras, ofícios, saber fazer, danças, músicas, estórias de vida. Gostamos de dar voz a essas pessoas e de ser os seus mensageiros, muitas vezes puxando por elas, levando-as para outros lados, colocando-as nos jornais, na televisão, na rádio e fazendo com que nas suas comunidades elas sejam ouvidos, reforçando sempre as suas práticas pela positiva, permitindo que muitas vezes se lembrem ainda de mais coisas e deixem para trás aquela atitude peculiar de “eu não sei nada”, “aquilo que eu sei não tem valor”. Tem, tudo tem valor. Nós gostamos de dizer que gravamos as pessoas reais, tal como são, com o bom e o mau, damos-lhes esse espaço. Todxs somos especiais, todxs temos uma história para contar, todxs somos estrelas. É muito importante essa valorização, gravamos patrimónios humanos. É isso que nos interessa. (Tiago Pereira, Diretor Artístico da MPAGDP)

Equipa Activa

Tiago Pereira

Director Artístico

Realizador, documentarista, radialista e visualista, Tiago Pereira tem promovido e divulgado a música portuguesa, como mentor e diretor do projeto: "A música portuguesa a gostar dela própria", em várias direções, tornando-se um ativista, defensor da memória coletiva e tradição oral, realizando filmes, séries documentais, programas de rádio, programação musical e de eventos sobre o tema da cultura popular. Estendendo-se ao artesanato e à gastronomia.

Silvio Rosado

Som e Composição

Designer, músico, compositor e artista visual, Sílvio Rosado foi membro fundador das bandas Flood, Primitive Reason, Luna Sea Sane, e Nicorette. Desenvolve vários trabalhos de sonoplastia e composição com o artista plástico João Paulo Serafim, trabalhos na área de Sound Design e, entre outros, como criação de bandas sonoras. É membro fundador de Bordell e Sampladélicos, projectos audiovisuais.

Nicole Sanchez

Colaboradora de Fotografia

Desde cedo nutriu o gosto pela fotografia, tendo explorado a dinâmica analógica na fotografia documental ‘caseira’, registando as suas viagens, acontecimentos em família, na escola e com amigos. Recentemente largou a sua profissão de arquitecta que exerceu durante mais de quinze anos, para agarrar na fotografia a tempo inteiro. Torna-se evidente a sua necessidade no registo, por forma a criar memórias visuais, e isso é transversal ao seu trabalho fotográfico. Reside em Lisboa desde 1997, tendo efectuado estudos ao nível do secundário em Madrid. Licenciou-se em Arquitectura pela Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa.

Cristina Enes Garcia

Assistente social

A vontade de descobrir outros mundos, outras realidades, conhecer outros hábitos e culturas, pode ajudar a descrever-me. Talvez por isso, em 2002, tenha começado a estudar serviço social na expectativa de melhor chegar ao outro. Em 2006 estagiei num centro de atendimento a toxicodependentes, passei por uma unidade de vida protegida na área da saúde mental. Mais tarde, trabalhei num projeto de intervenção comunitária dirigido à comunidade piscatória da Murtosa. Em 2016 trabalhei com refugiados e, durante 7 anos, com jovens. Chego à MPAGDP com a mesma curiosidade e entusiasmo de quem descobre um mundo novo.

Pessoas importantes que por cá passaram

Márcia Sousa

Realização e Som

Ivo Costa

Bernardo Gomes

Realização

Marco Pereira

Realização e Som

Marina Guerreiro

Realização e Som

Maria Manuel Ribeiro

Realização e Som

Solange Carvalho

Realização e Som

Andrea Rocha

Realização e Som

Sandra Oliveira

Realização

Carolina Simões

Realização e Som

Filipe Brás

Realização e Som

Nélia Marquez Martins

Realização e Som

Joana Barra Vaz

Co-Fundadora

Telma Morna

Som

Rita Neves

Realização e Som

Madalena Graça

Realização e Som

Carolina Catrola

Realização e Som

Sara Morais

Som

Miguel Bordalo

Realização

Sofia Afonso

Realização e Som

Andreia Silva

Realização

Sofia Pinheiro

Som

Tatiana Saavedra

Realização e Som

Martin Pawley

Realização e Som

Cláudia Faro Santos

Realização e Som

Nádia Araújo

Realização e Som

Sara Godinho

Som

Ricardo Rolim

Realização e Som

Daniel Neves

Realização

Hugo Freitas

Som

João Correia

Realização

Rosa Pomar

Realização e Som

Tiago Mata Angelino

Realização e Som

Diogo Vargas

Realização e Som

Artur Miguel

Realização e Som

Mariana Bártolo

Realização e Som

Tiago Cação

Consultor

AP Silvestre

Colaboradora

Sofia Matias

Produção

Mariana Pinheiro Rodrigues

Realização, Som e Produção

Carla Pinto

Colaboradora

Marília Laranjeira

Realização e Som

Manuel Pinheiro

Som

Mariana Rodrigues

Realização e Som

Julia Lombão Prado

Som e Montagem

Tiago Nicolau

Som

Rui Oliveira

Som

Irina Batalha

Som

André Chiote

Som

Manuel Pinto Barros

Som

Ricardo Frutuoso

Som

Pedro Guimarães

Som

Raquel Castro

Som

José Lourido

Som

Filipe Marta

Som

Eduardo Vinhas

Som

Kiko Moreira

Som

Margarida Brito

Som

Pedro Coelho

Som

Ana Cláudia Silva

Colaboradora

Quiné Teles

Som

Frederico Severo

Som

João Bastos

Som

Hagna Dutra

Som

Miguel Ataranha

Realização

Aitana Eanes

Produção

Davide Salvado

Produção

Manuel Bento

Som

Mariana Moreira

Som

Carolina Pereira

Colaboradora

Iolanda Pereira

Colaboradora

Aurelija Šimonytė

Estagiaria Erasmus

Rui Quina

Som

Raquel Cavaleiro

Som

Rita Rebelo de Andrade

Realização e Som

Tânia Barreto

Colaboradora

Ana Enes

Colaboradora

Lígia Pires Fernandes

Colaboradora

Sebastião Varela

Edição

Davide do Arroio

Mariana Hatherly

Edição de Vídeo