Dona Filomena 

Maio 25, 2013

Lx factory, Alcântara, Lisboa

Lisboa, Lisboa, Estremadura

Ir para Lisboa

Gravado no âmbito do Burricidade organizado pela AEPGA.

Dona Filomena

Estando Dona Filomena
Penteando os seus cabelos
Com um pente de ouro na mão
Passou por ali um soldado
Logo lhe apertou a mão
Aperta, aperta soldado
Agora é ocasião
O meu marido foi à caça
Lá para os montes de Aragão
Se tu queres que ele cá não volte
Manda-lhe uma maldição
Os corvos lhes tirem os olhos
As águias o coração
E os bichos da floresta
Tragam em procissão
Estando Dona Filomena
Sentadinha em seu balcão
Passou por ali um soldado
Logo lhe apertou a mão
Aperta, aperta soldado
Agora é ocasião
O meu marido foi à caça
Lá para os montes de Aragão
Se tu queres que ele cá não volte
Manda-lhe uma maldição
Os corvos lhe tirem os olhos
As águias o coração
E os bichinhos da floresta
Que o tragam de procissão