Não quero que vás à monda 

Outubro 5, 2016

Viana do Alentejo, Évora

Viana do Alentejo, Évora, Alto Alentejo

Ir para Évora

Não quero que vás à monda

Cantava, cantei, cantando
Cantando, cantei, cantava
Chorava, chorei, chorando
Oh, meu lindo amor
Chorando, chorei, chorava

Não quero que vás à monda
Nem à ribeira lavar
Só quero que me acompanhes
Oh, meu lindo amor
No dia em que eu casar

No dia em que eu casar
Hás-de ser minha madrinha
Não quero que vás a monda
E oh, meu lindo amor
Nem à ribeira sozinha

Gosto muito dos teus olhos
Gosto ainda mais dos meus
Se não fossem os meus olhos
Oh, meu lindo amor
Não podia ver os teus

Não quero que vás à monda
Nem à ribeira lavar
Só quero que me acompanhes
Oh, meu lindo amor
No dia em que eu casar

No dia em que eu casar
Hás-de ser minha madrinha
Não quero que vás a monda
Oh, meu lindo amor
Nem à ribeira sozinha

Não quero que vás à monda
Nem à ribeira lavar
Só quero que me acompanhes
Oh, meu lindo amor
No dia em que eu casar

No dia em que eu casar
Hás-de ser minha madrinha
Não quero que vás a monda
Oh, meu lindo amor
Nem à ribeira sozinha