O meu chapéu 

Maio 9, 2015

Vila Nova de São Bento, Serpa, Beja

Rancho de Cantadores da Aldeia Nova de São Bento

Ver projecto

Serpa, Beja, Baixo Alentejo

Ir para Beja

O meu chapéu, de João Monge

Aldeia Nova de São Bento
Plantada no meio do trigo
O teu cantar é um lamento
Gosto de cantar contigo

Se passares à minha aldeia
Não vás de cabeça ao léu
Quando o sol mais almareia
Podes pôr o meu chapéu

Podes pôr o meu chapéu
A mais valiosa herança
Já foi de quem está no céu
E não me sai da lembrança

Quando nos faltar a voz
Há-de haver uma mão cheia
A cantar por todos nós
Tenho cá na minha ideia

Tenho cá na minha ideia
Que o cante se ouve no céu
Se passares à minha aldeia
Não vás de cabeça ao léu

Quando eu oiço bem cantar
Paro e tiro o meu chapéu
Não se me dava morrer
Se houvesse cante no céu

Se passares à minha aldeia
Não vás de cabeça ao léu
Quando o sol mais almareia
Podes pôr o meu chapéu

Podes pôr o meu chapéu
A mais valiosa herança
Já foi de quem está no céu
E não me sai da lembrança

Quando nos faltar a voz
Há-de haver uma mão cheia
A cantar por todos nós
Tenho cá na minha ideia

Tenho cá na minha ideia
Que o cante se ouve no céu
Se passares à minha aldeia
Não vás de cabeça ao léu