Quadras para as bonecas 

Novembro 10, 2013

Querença, Loulé

Loulé, Faro, Algarve

Ir para Faro

Quadras para as bonecas

A da empreita
Minha empreita vou fazendo
Pela noitinha, ao serão
Sempre me vai ajudando
Para melhor comprar o pão

A que pisava o esparto
No pisadoiro, com jeito
O esparto vou pisando
Faço o baraço a preceito
E alguns tostões vou ganhando

O da mó
A minha mó vou rodando
Para o milho moer
Muitas voltas lhe vou dando
Até as papas fazer

Quem amassa o pão
Nos moinhos é moído
Para depois ser peneirado
Também nos fornos cozido
Depois de ser amassado

Os velhinhos
Não te recordas, marido
Quando junto de mim estavas
Eras muito divertido
E a lã sempre me empeçavas

Como não hei-de lembrar
Essa tão linda verdade
A vida está a findar
Resta-nos só a saudade

O cavador
A terra vou cavando
Levantando minha a enxada
A terra tudo nos vai dando
E sem ela não éramos nada

O da fonte
Gosto da água beber
Quando nasce lá no monte
E da cantarinha encher
No fiozinho da fonte