Cada um 

Dezembro 1, 2008

Comboio da linha de Cascais, Lisboa

Cascais, Lisboa, Estremadura

Ir para Lisboa

Nas palavras de B Fachada, "As canções nunca têm nenhuma história (não que eu me lembre); assim que acabo uma canção é como se não fosse minha, não sei nada sobre a génese dela, só cantá-la" e “Como dizê-lo... A minha braguesa é um pau! Marca branca! Não tem sequer um selo de construtor. Não tem nada. Custou-me €120 e fiz uma carreira com ela... Mas não há maneira de a catalogar para além de ser a Minha Braguesa.

Editado no álbum «Viola Braguesa», lançado em Outubro de 2008, este tema foi registado no âmbito do filme «B Fachada Tradição Oral Contemporânea», de Tiago Pereira.

Cada um

Cada um foi para o seu lado
Já não faço o teu jantar
Será que arranjas namorado?
Será que um dia vais voltar?

Quero rever os teus bandós
Quero cheirar os teus costados
Arranjar uma casinha para nós
Fazermos vida de casados

Como está o tempo aí?
Por cá voltou por hora o sol
E tudo o teu que eu já esqueci
Com o calor que faz aqui
Só deixa o coração mais mole

Vamos deitar-nos frente a frente
E ouvir Goodbye Toulouse os dois
Ler o Quiroga e de contente
Fazer a tal canção diferente
Para então cantar depois

De quem é o olho mais amante
Quem viu primeiro?
De quem é o peito mais amado?
Ou todo por inteiro?

E o nosso matrimónio, simples e confiante
E tão ligeiro e tão calado
Viu-se longe e acabado
Ah, quero rever os teus bandós
Quero cheirar os teus costados
Arranjar uma caminha para nós
Fazermos vida de acamados